A Percepção Frente às Questões Globais

O Brasil é reconhecido mundialmente como o mais rico em diversidade biológica. De acordo com PAULI (2003), essa riqueza poderia se transformar num instrumento para a competitividade e numa base de respostas às questões necessárias de todos os cidadãos em termos de água, alimentação, abrigo, assistência de saúde e energia. Novos paradigmas sobre mudança global, diversidade e sustentabilidade, economia verde, energia criativa, emergem como resultado de um aumento crescente na escala de percepção e de compreensão do mundo. Refletem também uma maior consciência do poder da humanidade para influenciar seu ambiente de forma contundente podendo modificar o curso da própria evolução (YOUNÉS, 2001). As questões que se originam da diversidade biológica, mudança global e desenvolvimento sustentável, constituem a abordagem primordial adotada na Conferência Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento realizada em junho de 1992 no Rio de Janeiro onde foi assinada por mais de 162 países, a Convenção da Diversidade Ecológica. Esta Convenção se destina a conter a destruição das espécies, habitats e ecossistemas, por considerar a Biodiversidade como um recurso para a construção do desenvolvimento. Entretanto, apesar de haver um consenso quanto a esta evidência relacionada à necessidade de se fazer cumprir esta Convenção, algumas questões podem ser levantadas quanto à definição sobre o quê conservar e manejar, como e onde agir e quem deve se responsabilizar por estas ações?A estabilidade global está ligada à conservação biológica e ao uso sustentável de seus componentes. Acredita-se que a Biodiversidade esteja sendo exaustivamente super explorada em função da rápida industrialização como devido à degradação ambiental associada às pressões das populações humanas (di CASTRI et al. 1994).Os ecossistemas marinhos exigem um maior entendimento dos padrões e processos de perda de Biodiversidade. A imensidão do domínio marinho, sua relativa inacessabilidade, bem como os processos como mistura, dispersão e transporte impõem inúmeros desafios científicos e conservacionistas.Segundo YOUNÉS (2001), os conceitos sobre Biodiversidade em sua maioria, derivam de estudos de sistemas terrestres onde pode ser observado um padrão de aumento de diversidade dos pólos para os trópicos. Isto já não ocorre no domínio marinho, onde alguns grupos podem atingir máximos de diversidade nas regiões temperadas como os bancos de algas ou nos trópicos como os corais e o mangue. Estas informações começam a ser incrementadas através de novas fontes documentadas de pesquisas na área o que permitirá um melhor entendimento sobre os seus processos e funcionamento e como que ele poderá ser explorado.

 

 

Autor : Ilzomar Soares Filho – Biólogo Marinho – Publicado Anais de Biologia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s