Informativo nº 182 – Rio de Janeiro, 06 de dezembro de 2013.

Caros leitores,

Confiram as postagens que fizemos em nosso site esta semana:

Cidades ricas, para quem ? A história pode nos ensinar … 

06 de dezembro – O dinheiro é um padrão de troca fabricado pelos governos. A grande invenção dos financistas do final da Idade Media e que transformou o mundo do comércio. Das Américas, a Europa, sobretudo Espanha e Portugal, levou toda a prata e o ouro que pôde. Inundaram e inflacionaram os preços com esta abundância. Por isso, ao ouvirmos de uns e outros a frase: “vamos trazer muita gente com dinheiro para  as nossas cidades”, temos que colocar as nossas “barbas de molho”, pois se esta gente tem dinheiro para comprar a cidade, sem investir em indústria produtiva, o que vai acontecer é o já que está sendo visto com os preços imobiliários em muitas cidades no Brasil, a inflação fundiária fora do alcance da maioria dos locais. (Leia mais)

A “reinvenção” do Rio e a desigualdade social

02 de dezembro – Recentemente, o jornal americano “The New York Times” publicou uma matéria especial sobre as ações governamentais e as decisões “desorientadas”, na tentativa de se “reinventar um Rio de Janeiro antes da Copa do Mundo e das Olimpíadas”. A questão do planejamento foi alvo da crítica internacional, uma vez que as diferenças entre os investimentos recentes e as demandas de infraestrutura e mobilidade urbana da Cidade são visíveis.

Além disso, o NYT destaca que os protestos populares mostraram problemas “intratáveis nesta cidade, onde a diferença de classe e a corrupção são quase tão imóveis quanto as montanhas. É uma cidade dividida”. (Leia mais)

Os grandes projetos e a exclusão dos interesses sociais no Rio

04 de dezembro – Em nome das grandes intervenções na Cidade para a Copa do Mundo e a Olimpíada de 2016, nos últimos anos, milhares de famílias têm sido removidas de suas residências. E, neste cenário de planejamento não participativo, um misto de denúncias de violações de direitos humanos, privatização do espaço público e a prática de uma política excludente que coloca os interesses comerciais acima dos sociais.

Por que o governo federal, via Caixa Econômica Federal, não se empenha em apoiar um bom e grande programa de habitação social na área central do Rio, por exemplo, comprada com o dinheiro dos trabalhadores? Cidade Maravilhosa só acontece com um Rio Solidário !   (Leia mais)

A história do bondinho do Pão de Açúcar 

03 de dezembro – Quem nunca ficou curioso para saber como foi realmente a construção da estação do bondinho no topo do Pão de Açúcar ? Como conseguiram levar cabos tão pesados até lá em cima, no início do século passado?

Confiram esta apresentação em homenagem ao centenário da inauguração do bondinho com fotos históricas que respondem a estas indagações. (Clique aqui)

Pelo tombamento do Casarão da Bananal    

05 de dezembro – A Associação de Moradores e Amigos da Freguesia está promovendo uma campanha pela desapropriação e tombamento do Casarão da Bananal para a criação de um Centro Cultural com oficinas e atividades culturais, educativas e promoção da saúde, escolas de artes, museu e biblioteca, conforme proposta já enviada à Prefeitura. O imóvel, tido como um dos ícones do bairro, está ameaçado de demolição. (Leia mais)

Um abraço,

Assinatura

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s