INEE REALIZA EVENTO “GERAÇÃO NA PONTA POR AUTOPRODUTORES – IMPACTOS E PERSPECTIVAS”

O evento, organizado pelo INEE, será realizado no Rio de Janeiro, na Associação Comercial – ACRJ, em 27 de novembro próximo, com o apoio do Sinergia – Sindicato Interestadual das Indústrias de Energia Elétrica.

A geração distribuída, tanto a produzida pelos próprios usuários quanto por terceiros, geralmente proporciona importantes vantagens, como economias de escopo, segurança de suprimento e redução de custos. Não é o caso da autoprodução restrita ao horário de ponta, com geradores a óleo diesel, que hoje tem participação expressiva no suprimento das necessidades de muitos consumidores brasileiros, atendendo cerca de 10% da ponta do SIN – Sistema Interligado Nacional.

Embora a disponibilidade dessa geração junto à carga seja importante e, em alguns casos, indispensável para situações de emergência, a principal razão para a substituição do fornecimento da concessionária local tem sido a elevada tarifa de energia elétrica no horário da ponta e os preços reduzidos do diesel. Em consequência, empresas vendedoras ou locadoras desses equipamentos tiveram sua atividade ampliada nos últimos anos.

No curto prazo, essa geração local ajuda a superar gargalos na rede de distribuição elétrica, alguns provavelmente decorrentes de a demanda de ponta, em certas áreas, ter sido subestimada, inclusive porque parte vem sendo gerada pelos próprios consumidores. No entanto, a alteração da relação entre preços da geração a diesel e do fornecimento no horário de ponta poderá acarretar dificuldades para o atendimento a esses consumidores, pelas distribuidoras, por falta de investimento adequado em suas redes e, possivelmente, nos sistemas de transmissão.

Essa autoprodução limitada ao horário de ponta e as baixas tarifas aplicadas fora do horário de ponta desestimulam o desenvolvimento de sistemas eficientes de geração distribuída, notadamente a cogeração com gás natural ou biogás.

No plano ambiental, a autoprodução a diesel, sobretudo em áreas urbanas, começa a preocupar, pois diferentemente do que ocorre com os transportes, só agora as municipalidades começam a regular e fiscalizar as emissões desses geradores. Isto pode diminuir a competitividade dessa autoprodução frente ao atendimento pelas concessionárias, criando uma nova demanda não esperada em seu mercado.

O Seminário foi pensado para avaliar os impactos e perspectivas dessas questões tendo como objetivo aumentar a eficiência do sistema, apresentando possíveis soluções para evitar que se perpetue essa dependência sem arriscar a continuidade e qualidade dos serviços. O evento terá 7 sessões:

Abertura

Geração Distribuída por Autoprodutores

A importância da geração elétrica por autoprodutores tende a aumentar em sistemas modernos, pela aproximação com as cargas e a gestão inteligente das redes. A mesa analisa os aspectos virtuosos, novas tendências e impactos nos vários atores do setor elétrico.

Geração a Diesel na Ponta (GDP)

Esta geração acontece de forma descentralizada, não sendo sua contribuição para o SIN medida de forma sistemática. Avaliações indiretas, porém, indicam que, em conjunto, esta geração é muito importante para garantir o suprimento à demanda na hora da ponta. A mesa analisa as dimensões, a tipologia dos usuários e a importância desta geração no SIN.

Estrutura Tarifária – Perspectivas

A geração de ponta é fortemente incentivada pela estrutura das tarifas elétricas e pelos preços do diesel, que refletem políticas públicas definidas de forma independente. É também influenciada pela estrutura de custos do suprimento contratado pelas distribuidoras junto às geradoras bem como pelas perspectivas de evolução do mercado livre, inclusive a regulamentação do comercializador varejista.

Geração a Diesel e sua Política

As estatísticas de consumo de óleo diesel não revelam a parcela destinada a essa autoprodução, que pode atingir um bilhão de litros de diesel/ano. Portaria do Ministério da Indústria e Comércio restringe o uso do diesel a ônibus e caminhões, dentre outras razões, porque o combustível seria subsidiado. Esta mesa discute a estrutura de preço do diesel, o possível montante que vem sendo utilizado e seu efeito sobre a PETROBRAS.

GDP e o Planejamento do Setor Elétrico

Os investimentos nas redes de distribuição e no seu sistema de suprimento podem vir a ser subestimados pela continuidade da GDP, que poderia vir a ser fortemente reduzida por razões ambientais. Que medidas deveriam ser consideradas para evitar dificuldades de atendimento adicional aos consumidores e que elementos são necessários para essa avaliação.

Mesa Redonda

Considerando os aspectos levantados durante o evento, serão debatidos os principais problemas e perspectivas de soluções.

O Seminário dirige-se a um público alvo constituído de Concessionárias Elétricas; empresas, entidades do setor elétrico e profissionais envolvidos com o planejamento energético; autoprodutores de energia elétrica; empresas distribuidoras de gás natural; municipalidades; fabricantes de geradores; empresas operadoras e locadoras de geradores de ponta; entidades interessadas nas emissões urbanas; universidades e centros de pesquisa.

Serviço

Geração na Ponta por Autoprodutores – Impactos e Perspectivas
Data: 27 de novembro
Local: Auditório da Associação Comercial do Rio de Janeiro (subsolo), ACRJ, Rua da Candelária, 9, Rio de Janeiro
Mais informações: http://www.gddp.grandesinergia.org.br ou nos telefones (21)3239-0902/98896-4574

16/10/2014

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s